Estilo de vida do Sermão do Monte – Parte 1

sermao-montanhas-2
Estilo de vida do Sermão do Monte – Parte 2
20 de outubro de 2018

Estilo de vida do Sermão do Monte – Parte 1

sermao-montanhas

sermao-montanhas

Contexto do sermão:

Jesus já havia iniciado seu ministério público e a repercussão dos milagres, curas e ensinos se espalharam rapidamente, o que levou uma multidão a segui-lo conforme descrito em Mateus 4:25. Talvez para se afastar da multidão e descasar um pouco, Jesus sobe um monte.  Porém, alguns discípulos se aproximaram, e logo depois as multidões, e ele passou a ensiná-los, o que hoje chamamos ”Sermão do Monte”.

É importante observar que Jesus adota uma forma de ensino diferente, um ensino acessível a todos.  No contexto daquela sociedade, a transmissão de conhecimento por parte de um mestre era feita diretamente a um discípulo, ou a um grupo bem pequeno de discípulos. Isso tornava esses conhecimentos restritos a pouquíssimas pessoas, geralmente ricas e dotadas de certos privilégios.

Paulo em Atos 22:3, por exemplo, diz ter sido instruído aos pés de Gamaliel, doutor da lei, dando uma referência sobre a relação de mestre e aluno que era utilizada naquela época.  Este era o modelo grego de ensino, no qual o mestre transmitia o conhecimento a um aluno ou a um pequeno grupo de alunos.

Mas Jesus no Sermão do Monte explana de forma clara, inteligente e acessível a todos, um ensino que, provavelmente se aquelas pessoas estudassem por anos, não conseguiriam compreender a respeito do Reino dos Céus.

O centro da mensagem:

O Sermão do Monte é a apresentação do Reino dos Céus.  Seus padrões éticos, morais e sociais, bem como quais as características das pessoas que pertencem a esse Reino.  De forma muito simples e direta, Jesus separa o discurso em algumas partes, conforme veremos a seguir.

As bem-aventuranças:

Antes de expor às pessoas o Reino, Jesus fala de uma categoria de pessoas que já estariam vivendo o Reino dos Céus.  Pessoas que, apesar de viverem nesse mundo, seguem os padrões do Reino e não os padrões desse mundo.  As bem aventuranças não são atitudes que devemos tomar para alcançar algo, mas um estilo de vida.  Ter uma é ter todas e não ter uma é não ter nenhuma.  É preciso compreender que apenas as promessas estão no futuro, mas os adjetivos estão no presente.  Isso significa que devemos viver agora as bem aventuranças e aguardar, então, a recompensa.

  • Bem-aventurado os pobres de espírito – O Reino é Deles. Quando não temos mais nada para oferecer e reconhecemos o que somos, percebemos que há mais de Deus e do seu governo.
  • Bem-aventurado os que choram – Serão consolados. Choramos quando perdemos algo que amamos, e assim recebemos o consolo Daquele que é o Verdadeiro Amor.
  • Bem-aventurado os mansos – Herdarão a terra. Ter contentamento é estar bem, a despeito de qualquer situação, é o estado oposto ao da ansiedade. Viver assim é crer que teremos tudo o que for necessário em nossa caminhada.
  • Bem-aventurado os que tem fome e sede de justiça – Serão fartos. O Reino dos Céus é nossa comida e nossa bebida.
  • Bem-aventurado os misericordiosos  – Alcançarão misericórdia. Quando nos preocupamos com o bem-estar dos outros e, nos dispomos a cuidar das pessoas, podemos descansar, pois Deus cuidará de nós.
  • Bem-aventurado os limpos de Coração – Verão a Deus. Quando aprendemos a guardar, nossa mente e coração em Deus, estamos prontos para contemplar o próprio Deus.
  •  Bem-aventurado os pacificadores – São Filhos de Deus. Aqueles que promovem a paz e a reconciliação, se descobrem pertencentes, de fato, a família de Deus.
  • Bem-aventurado os perseguidos por causa da justiça – O Reino é deles.  Ser perseguido pelo comprometimento com a verdade do Cristianismo, é um sinal de estar avançando para o Reino de Deus.